Superego: os ideais internalizados por nossos pais e sociedade

2 min


10 shares
superego

De acordo com a teoria da personalidade de Freud, o superego é o componente da personalidade composto dos ideais internalizados que adquirimos de nossos pais e da sociedade.

O superego tenta suprimir os impulsos do id e tenta fazer o ego comportar-se moralmente, em vez de realisticamente.

Quando o superego se desenvolve?

Ele é um dos últimos componentes da personalidade a se desenvolver. Surge por volta dos 5 anos de idade. Seu desenvolvimento se dá após o desenvolvimento do id (parte básica e primordial da personalidade) desde o nascimento e do ego que surge durante os 3 primeiros anos de vida.

>> Id, Ego e Superego: entenda rapidamente quem são eles

Os ideais que contribuem para sua formação incluem não apenas a moral e os valores que aprendemos com nossos pais, mas também as idéias de certo e errado que adquirimos da sociedade e da cultura em que vivemos.

ID, EGO e Superego

>> O que é psiquê? Um termo muito anterior a Freud

Para quê serve o superego?

Sua ação e função primária é tentar suprimir qualquer impulso ou desejo do id. Os desejos do id são considerados errados ou socialmente inaceitáveis. Ao mesmo tempo, tenta forçar o ego a agir moralmente, em vem de racionalmente ou de forma realista.

É uma força em prol das perfeições morais, sem levar em conta a realidade.

Esta presente nos 3 níveis da consciência.

Sentimos culpa e podemos até estar cientes dos sentimentos resultantes. Ou, sentimos culpa sem nenhum entendimento real do porquê nos sentimos assim. Também age no inconsciente para punir e reprimir o id.

>> Consciência e consciente: qual a diferença entre os dois?

“Os conteúdos do superego são, na maior parte, conscientes e, portanto, podem ser diretamente atingidos pela percepção endopsíquica. No entanto, nossa imagem do superego sempre tende a se tornar nebulosa quando existem relações harmoniosas entre ele e o ego. Dois coincidem, isto é, em tais momentos o superego não é perceptível como uma instituição separada, seja para o próprio sujeito, seja para um observador externo. Seus contornos tornam-se claros apenas quando confrontam o ego com hostilidade ou pelo menos com críticas.”

Anna Freud – Livro: O ego e os mecanismos de defesa

Tomamos consciência do superego quando a crítica evoca um sentimento de culpa no ego. Quando de forma hostil ele tenta suprimir nossos desejos e vontades. Tudo o que aprendemos ao longo de nossas vidas, trazido por nossos pais e sociedade, todo comportamento considerado moralmente adequado a família e a sociedade, produz o superego.

>> A sexualidade segundo a psicanálise

Se a família foi rígida demais, se as exigências eram muitas para o comportamento, o superego carrega em nosso inconsciente por toda a vida o quê um dia nos foi ensinado como o correto, adequado e certo, segundo um comportamento moralmente aceitável e determinado.

 

Fonte: Freud A. The Ego and the Mechanisms of Defense. Karnac Books. 1992.


Like it? Share with your friends!

10 shares

What's Your Reaction?

Amei Amei
0
Amei
Nossa! Nossa!
1
Nossa!
Own Own
0
Own
Gostei Gostei
1
Gostei

Comments

comments

error: Content is protected !!